apresentação

Especialidade médica que cuida do funcionamento das glândulas e das doenças que ocorrem nessas. Tanto a secreção em excesso como a deficiente causam uma série de problemas que necessitam avaliação.

Trata-se de uma especialidade cada vez mais necessária considerando o aumento da prevalência de doenças como obesidade e diabetes, tanto em adultos como em crianças. Dados do Ministério da Saúde, publicados em 2020, mostram que 6 em cada 10 brasileiros apresentam excesso de peso, ou seja, cerca de 96 milhões de brasileiros.

 

Quando procurar um endocrinologista:

Crianças e adolescentes: problemas de crescimento, tanto deficiente como exagerado, assim como início precoce ou atraso da puberdade.

Mulheres: dificuldades para engravidar, doenças relacionadas à menstruação e com crescimento de pelos.

Homens: diminuição dos hormônios masculinos com o envelhecimento ou por doenças, em qualquer idade.

Adultos: alterações nos níveis de colesterol e triglicérides. A obesidade pode levar ao diabetes e ter sintomas como beber muito líquido e urinar em excesso. A glândula adrenal pode determinar aumento de peso, com estrias avermelhadas, pelos em excesso e hipertensão. Os nódulos de tireoide são muito comuns, sendo a grande maioria benigno. O câncer de tireoide é relativamente raro e possui um excelente prognóstico na maioria dos casos. Sintomas como nervosismo, insônia ou sono em excesso, alterações no ritmo intestinal, coração acelerado, perda ou ganho de peso, excesso de frio ou calor podem revelar distúrbios da tireoide. Doenças da hipófise como tumores podem levar à presença de leite nas mamas, fora do período de amamentação, além de mudanças faciais, aumento do número do sapato, dores de cabeça e distúrbios da visão. Doenças do metabolismo ósseo podem levar a osteoporose.

No HSL, a equipe de Endocrinologia atende nos ambulatórios do SUS, de convênios e presta consultorias para todas as áreas que necessitam esse serviço a nível de internação. Dados da Sociedade Brasileira de Diabetes mostram que a prevalência de diabetes em pacientes internados varia de 15 a 35%. Até 50% desconhecem sua condição e recebem o diagnóstico apenas no hospital, necessitando pronto e adequado atendimento. Os pacientes com diabete têm internações mais longas e o aumento da glicemia agrava a evolução das doenças que causam a internação e aumenta o risco de morte. Nossa equipe está sempre disponível para a equipe médica do hospital fazer contato através de um BIP interno.

Os principais exames diagnósticos necessários podem ser feitos no HSL. Dosagens hormonais, ecografia, tomografia ou ressonância magnética, além de punções aspirativas.

Equipe do Serviço

Residentes

Anita Lavarda Scheimplug, Julia Scaravelli Mario, Roberta Herath Rascovetzki, Janine Alessi, Pablo da Silva e Taíse Rosa de Carvalho.

CONTATO

O Serviço de Endocrinologia pode ser contatado pelo fone 3320-3000 ramal 2621 ou pelo e-mail [email protected]

PUBLICAÇÕES

Predictors of Long-Term Remission and Relapse of Type 2 Diabetes Mellitus Following Gastric Bypass in Severely Obese Patients. Obesity SurgeryDOI 10.1007/s11695-017-2830-3

New insights into the management of differentiated thyroid carcinoma in children and adolescents. Intern J of Oncology DOI 10.3892/ijo.2021.5193

Dynamic Risk Stratification in the Follow-Up of Children and Adolescents with Differentiated Thyroid Cancer. Thyroid  DOI 10.1089/thy.2018.0075

Role of Postoperative Stimulated Thyroglobulin as Prognostic Factor for Differentiated Thyroid Cancer in Children and Adolescents. Thyroid DOI 10.1089/thy.2016.0559

Difference in sarcopenia prevalence and associated factors according to 2010 and 2018 European consensus (EWGSOP) in elderly patients with type 2 diabetes mellitus. Exp Gerontol  DOI 10.1016/j.exger.2020.110835

The rational treatment of diabetes mellitus in older adults: the adequacy of treatment decisions based on individualized glycemic targets in primary and tertiary care. J Diabetes Complication DOI 10.1016/j.jdiacomp.2020.107835

PERGUNTAS FREQUENTES

  • Por que é tão difícil emagrecer?

    O tratamento não é simples, pois depende de melhora nos hábitos alimentares, atividade física regular e, em alguns casos, uso de medicamentos ou cirurgia. É uma doença crônica e depende de cuidados constantes por toda a vida.

  • Como saber se estou com hipotireoidismo?

    Para saber se está com hipotireoidismo é necessário a realização do exame de sangue de TSH, o qual terá um valor acima da referência do laboratório.

  • Quando a dosagem da prolactina deve ser solicitada?

    Apenas em situações específicas: infertilidade masculina ou feminina, alteração da produção dos hormônios sexuais, presença de secreção láctea fora do período normal (gestação e período de aleitamento); e doenças da hipófise.

  • Mesmo eu não comendo doces eu posso ter diabetes tipo 2? 

    Sim. A causa do diabetes tipo 2 é multifatorial, tendo influência genética, mas também comportamental. Ela está diretamente relacionada ao sobrepeso e obesidade que pode ser causada pela ingestão excessiva de calorias (não apenas doces) e sedentarismo.

  • Existe mais de um tipo de diabete?

    Sim. O mais comum é o do tipo 2 que ocorre em pessoas com excesso de peso e sedentárias cujo tratamento inicial é com dieta, atividade física e medicamentos. O diabete tipo 1 sempre necessita aplicação de insulina.

novidades em destaque

encontre seu médico